sábado, 12 de agosto de 2017

Celebrar Miguel Torga

Hoje, Miguel Torga faria  110 anos. Nasceu a 12 de Agosto de  1907, em S. Martinho de Anta, concelho de Sabrosa,Trás-os-Montes. Tendo como nome de registo  Adolfo Correia da Rocha, adoptou o pseudónimo de Miguel Torga , inspirado no nome da urze campestre, ( torga), que vive e resiste nas fragas das montanhas transmontanas. Morreu  a 17 de Janeiro de 1995.
Autor de uma extensa  obra, diversa, premiada e celebrada , deixou-nos um volumoso conjunto importante de Diários.
Visitámo-lo , de novo. Existem várias entradas relativas ao dia do seu aniversário. Escolhemos apenas duas, que estão separadas por quase quarenta anos. Ao poeta e ao engenhoso escritor, a nossa rendida saudação.
Gerês, 12 de Agosto de 1948 
ANIVERSÁRIO
Mãe:
Que visita tão pura me fizeste
Neste dia!
Era a tua memória que sorria
Sobre o meu berço.
Nu e pequeno como me deixaste,
Ia chorar de medo e de abandono.
Então vieste , e outra vez cantaste, 
Até que veio o sono.

Coimbra , 12 de Agosto de 1980
Setenta e três anos, E já quase nem reajo à conta. Sei que é grande e aterradora , mas sei como há vulcões e terramotos. , Dantes, a data  de hoje era sempre um toque a rebate.  Todo eu ficava em pânico com menos alguns meses  de existência. Os muitos e incessantes  projectos  que fazia pressupunham-me longevo, não admitiam limitações na minha duração.  Agora, que não posso alimentar ilusões  de nenhuma ordem , porque qualquer optimismo  seria pueril, os aniversários parecem bónus da vida. Começo a sentir a impressão de que parei  no tempo , de que marco passo em vez de caminhar, de que fiz o que tinha a fazer e tudo o que vier ainda à rede é por acréscimo. Olho o futuro, e vejo o passado. E como ele foi aventuroso e rico de mil experiências, com acenos dos quatro pontos cardeais do mundo e todas as apetências da curiosidade e da compreensão postas à prova, quando chega este dia, já nem o bendigo nem o maldigo. Remeto-me a um pragamtismo irónico e salutar : não dá esperança, mas é um pretexto para ter saudades..."
Miguel Torga, in Diário ( volume IV, volume XIII),  Círculo de Leitores

Sem comentários:

Enviar um comentário